Testosterona Feminina Alta ou Baixa Demais – Sintomas e Tratamento

0
225


Apesar de a testosterona ser um hormônio masculino, as mulheres também o têm. As quantidades de testosterona no corpo da mulher são bem menores do que as observadas nos homens. Ainda assim, sua presença é muito importante para funções metabólicas como as que ocorrem no sistema reprodutivo feminino.

Porém, altos níveis de testosterona nas mulheres podem ser um sinal de algum problema de saúde. Assim como a testosterona baixa demais também pode ser sinônimo de transtornos.

Aqui, vamos falar sobre os principais sintomas de testosterona feminina alta ou baixa demais e indicar tratamentos para controlar e regular os hormônios.

Testosterona feminina

Os hormônios em geral são substâncias químicas presentes no
corpo que atuam como mensageiros, levando mensagens de um lado para o outro do
corpo. Os níveis normais desses hormônios são muito importantes para manter as
funções do organismo em pleno funcionamento.

Os ovários femininos produzem 2 hormônios: a testosterona e o estrogênio. Quantidades bem pequenas de testosterona são liberadas na corrente sanguínea por meio dos ovários e também pelas glândulas suprarrenais. Já o estrogênio é produzido em quantidades maiores não só pelos ovários, mas também por meio do tecido adiposo do corpo.

Anúncio
Liberdade Financeira de Verdade!

Esses 2 hormônios sexuais são muito importantes para promover o crescimento, a manutenção e o reparo dos tecidos envolvidos na reprodução, além de também serem utilizados na produção de massa óssea.

No caso da testosterona em mulheres, se os níveis não estiverem nos intervalos considerados normais, podem ocorrer sintomas como períodos menstruais irregulares, pelos no corpo, calvície, acne, aumento de massa muscular, dentre outros.

Além disso, testosterona feminina alta demais pode causar infertilidade e pode ser um sintoma de síndrome do ovário policístico. Por isso, é muito importante checar os níveis dos hormônios sexuais quando sintomas anormais forem observados.

O intervalo normal de testosterona em mulheres de acordo com
a idade é indicado abaixo:

Idade (anos) Testosterona (nanogramas por
decilitro)
10
a 11
7
a 44
12
a 16
7
a 75
17
a 18
20
a 75
acima
de 19
8
a 60

Já para os homens, o intervalo considerado normal é maior
que para as mulheres, como pode ser observado na tabela a seguir:

Idade (anos) Testosterona (nanogramas por
decilitro)
10
a 11
7
a 130
12
a 13
7
a 800
14 7
a 1200
15
a 16
100
a 1200
17
a 18
300
a 1200
acima
de 19
240
a 950

Sintomas

Desequilíbrios hormonais, especialmente de testosterona, no corpo da mulher podem resultar em malefícios para a saúde além de afetar a libido feminina.

Os principais sintomas de testosterona feminina alta incluem:

  • calvície;
  • acne;
  • excesso de pelos no corpo,
    principalmente na região da face;
  • voz mais grossa;
  • aumento da massa muscular;
  • tamanho reduzido do peito;
  • clitóris aumentado.

Quando os níveis de testosterona estão muito elevados,
sintomas mais severos podem ocorrer, incluindo:

  • baixa libido;
  • ciclos menstruais irregulares;
  • alterações de humor;
  • obesidade;
  • infertilidade.

A testosterona feminina baixa não costuma causar tantos sintomas, mas é possível observar sinais como:

  • fadiga;
  • redução do interesse sexual;
  • aumento de peso;
  • redução da massa óssea;
  • falta de motivação;
  • redução da massa muscular;
  • alterações de humor;
  • acúmulo de gordura corporal.

Causas de testosterona feminina alta

A testosterona feminina alta pode ser causada por vários
problemas de saúde ou distúrbios hormonais no organismo. As causas mais comuns
de testosterona alta em mulheres são:

– Hiperplasia adrenal congênita

A hiperplasia adrenal congênita é um distúrbio que afeta as
glândulas suprarrenais e que, consequentemente, interfere na produção de
hormônios do corpo. Na maioria dos casos, o corpo produz um excesso de
hormônios andrógenos como a testosterona.

Dentre os sintomas mais comuns, destacam-se: surgimento de características físicas masculinas, infertilidade, aparecimento precoce de pelos pubianos e surtos graves de acne.

– Hirsutismo

O hirsutismo é uma condição hormonal que resulta no
crescimento de pelos indesejados – concentrados nas costas, no rosto e nos
peitos. Tal condição pode ser causada por fatores genéticos e também por um
desequilíbrio dos hormônios andrógenos no corpo.

Além do excesso de pelo no corpo, quando a testosterona está
muito alta podem ser observados outros sintomas como acne, queda de cabelo,
clitóris aumentado, redução do tamanho da mama, aumento da massa muscular e
engrossamento da voz.

– Síndrome dos ovários policísticos

A síndrome do ovário policístico é um distúrbio hormonal
causado por um excesso de hormônios andrógenos em mulheres. Essa síndrome pode
desencadear sintomas como períodos menstruais irregulares ou longos demais,
crescimento de pelos e ovários aumentados e com mau funcionamento.

Complicações dessa doença podem incluir problemas como:
obesidade, aborto espontâneo, infertilidade, obesidade, diabetes do tipo 2 e
câncer do endométrio.

– Câncer

Alguns tipos de câncer, como o câncer nas glândulas adrenais ou o câncer de ovário, podem causar níveis altos de testosterona.

– Uso de esteroides

Mulheres que abusam de esteroides anabolizantes para melhorar o desempenho físico podem ter seus níveis de testosterona anormalmente altos como resultado do uso desse tipo de substância.

Causas de testosterona feminina baixa

A testosterona feminina baixa também pode causar sintomas desagradáveis. Esse problema pode ser causado por:

– Perimenopausa

A perimenopausa é um termo utilizado para descrever mulheres
que atingem a menopausa antes do tempo – geralmente de 2 a 8 anos antes do
período esperado. É normal que os níveis hormonais nas mulheres comecem a
diminuir a partir dos 20 anos de idade. Quando ela atinge a menopausa, eles já
diminuíram cerca de 50% ou mais.

Porém, atingir a menopausa antes dos 40 anos não é comum e
pode levar a alterações hormonais antes do tempo.

– Declínio da função ovariana

A redução da função ovariana é normal ao longo do tempo, mas quando isso acontece muito antes da menopausa pode ser um problema nos ovários da mulher. A remoção dos ovários por algum motivo também pode resultar na redução dos níveis de testosterona.

– Síndrome de Turner

Esse distúrbio genético faz com que os ovários das mulheres
não se desenvolvam como deveriam, diminuindo os níveis de testosterona.

– Outras causas

Condições temporárias como o tratamento com quimioterapia ou
radioterapia também podem levar a uma redução da testosterona.

Mulheres em pós-menopausa também apresentam uma redução
natural dos hormônios no corpo.

A presença de tumores na glândula pituitária pode resultar
em baixa produção de testosterona e de outros hormônios.

Condições como a amenorreia hipotalâmica (ausência de ciclos
menstruais) e hiperprolactinemia (altos níveis de prolactina) podem causar a
redução de testosterona no sangue.

Como diagnosticar

O diagnóstico de alterações nos níveis de testosterona deve ser feito com base na análise de sintomas físicos como presença de acne e pelos faciais anormais. Depois dessa avaliação prévia de sintomas e queixas, um teste de testosterona pode ser solicitado para medir as quantidades do hormônio no sangue.

Vale lembrar que o nível de hormônios no corpo pode variar
ao longo do dia e que os níveis de testosterona costumam ser mais altos pela
manhã e isso deve ser considerado na análise dos resultados.

Exames de imagem também podem ser solicitados como o
ultrassom em casos de suspeita de síndrome dos ovários policísticos.

Tratamento

O tratamento para testosterona feminina alta ou baixa vai depender da causa exata, mas pode incluir o uso de medicamentos e alterações no estilo de vida.

Tratamentos para a testosterona feminina alta podem incluir o uso dos remédios e das mudanças no estilo de vida mencionados abaixo:

  • Metformina: usado para diabetes do tipo 2, também ajuda na regulação hormonal.
  • Contraceptivos orais: a progestina ou progesterona é um hormônio usado para regular os ciclos menstruais e tratar problemas de fertilidade em mulheres.
  • Glucocosticosteroides:
    classe de hormônios esteroides que reduz a inflamação no corpo.
  • Espironolactona:
    diurético que ajuda a regular a quantidade de água e sal no corpo e que diminui
    o crescimento em excesso de pelos no corpo feminino.
  • Eflornitina:
    disponível na forma de creme que quando aplicado diretamente sobre a pele pode
    retardar o crescimento de pelos faciais.

Qualquer tipo de remédio só deve ser usado sob prescrição
médica e de acordo com a dosagem recomendada.

  • Controle do peso: a manutenção de um peso saudável auxilia no equilíbrio hormonal e na redução dos sintomas. Estudos mostram que uma redução em 5 a 10% do peso corporal pode melhorar os sintomas da síndrome dos ovários policísticos, além de diminuir os níveis de testosterona elevados e a evitar complicações como a infertilidade.
  • Exercícios físicos: a pratica regular de atividade física, principalmente por mulheres com síndrome dos ovários policísticos, pode ajudar a reduzir os níveis de testosterona.

Tratamentos para a testosterona feminina baixa se resumem a
alterações no estilo de vida ou reposição hormonal.

  • Reposição hormonal: Em casos de níveis muito baixos de testosterona em mulheres, a reposição de testosterona feminina pode ser necessária. A terapia hormonal geralmente consiste em uma combinação de estrogênio com progesterona ou o uso de testosterona nas formas injetável, em comprimidos ou em adesivos, por exemplo. Medicamentos como o Estratest, que contém estrogênio combinado com testosterona, também podem ser prescritos em alguns casos.

No entanto, a reposição hormonal pode causar efeitos
adversos muito sérios e piores do que a baixa testosterona em si. Esse tipo de
terapia deve ser acompanhado de perto por um médico.

  • Mudanças no estilo de vida: Alterações na dieta também podem influenciar os níveis de testosterona no sangue. A inclusão de alimentos ricos em vitamina A, zinco e vitamina D como as castanhas, o espinafre, o óleo de peixe, os ovos e as sementes de girassol, por exemplo, aumentam os níveis de testosterona no corpo sem a necessidade de reposição hormonal.

Dicas finais

O equilíbrio hormonal no corpo é essencial para uma boa
saúde. No entanto, como os hormônios desempenham funções metabólicas muito
importantes, também é essencial dosar bem a necessidade de reposições
hormonais.

Consulte um bom endócrino e faça todos os exames necessários
para entender qual a causa da sua deficiência ou do seu excesso em
testosterona. Muitas vezes, a produção hormonal é normalizada apenas tratando a
causa subjacente sem a necessidade de utilizar hormônios sintéticos.

Além disso, é muito importante adotar hábitos de vida saudáveis que não só ajudam a restabelecer o equilíbrio hormonal como também evitam diversos problemas de saúde.

Referências Adicionais:

Você já foi diagnosticada com testosterona feminina alta ou baixa demais? Que sintomas percebeu e qual foi o tratamento passado pelo médico? Comente abaixo!

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (2 votos, média: 5,00 de 5)
Loading…





Fonte do Artigo

Anúncio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here