Refluxo biliar: o que é, sintomas, causas e tratamento

0
109


O refluxo biliar, também conhecido por refluxo duodenogástrico, acontece quando a bile, que é liberada da vesícula biliar para a primeira porção do intestino, volta para o estômago ou mesmo para o esófago, causando inflamação da mucosa gástrica. Quando isso acontece, podem ocorrer alterações nas camadas protetoras de muco e aumento do pH no estômago.

Por estes motivos, pessoas com refluxo biliar têm maior tendencia para a proliferação de bactérias, surgimento de refluxo gastroesofágico e sintomas como dor abdominal na parte superior, náuseas e vômitos.

O tratamento consiste na ingestão de medicamentos e e casos mais graves, pode ser necessário realizar uma cirurgia.

Quais os sintomas

O refluxo biliar pode ser difícil de distinguir do refluxo de ácido, porque os sinais e sintomas são muito parecidos e podem ocorrer ao mesmo tempo. Os sintomas mais comuns são:

Anúncio
  • Dor abdominal superior;
  • Sensação de queimação no peito;
  • Náusea;
  • Vômitos de cor amarela esverdeada;
  • Tosse ou rouquidão;
  • Perda de peso.

Embora os sintomas sejam muito semelhantes com os do refluxo gastroesofágico, estes são considerados problemas distintos e, por isso, o diagnóstico deve ser sempre feito por um gastroenterologista. Veja quais os sintomas característicos do refluxo gastroesofágico.

Possíveis causas

A bile é um fluido essencial para a digestão de gorduras, para eliminar os glóbulos vermelhos desgastados e algumas toxinas do corpo. Esta substância é produzida no fígado e armazenada na vesícula biliar.

Quando se ingerem alimentos com gordura, a vesícula biliar libera a bile que é transportada ate ao duodeno. A bile e os alimentos misturam-se no duodeno e entram no intestino delgado através da válvula pilórica, que geralmente abre apenas gentilmente. No entanto, em casos de refluxo biliar, esta válvula não fecha adequadamente e a bile sobe assim para o estômago.

Além disso, a bile e o ácido do estômago podem sofrer refluxo até ao esôfago, quando o esfíncter esofágico, que separa o esôfago do estômago, não funciona corretamente.

Estes problemas que proporcionam o refluxo da bile podem ser causados por complicações cirúrgicas, como cirurgias gástricas, úlceras pépticas, que podem bloquear a válvula pilórica ou cirurgias à vesícula biliar.

Como confirmar o diagnóstico

Geralmente para diagnosticar problemas de refluxo biliar deve-se consultar um gastroenterologista que, além de avaliar os sintomas e o histórico clínico, também deverá pedir alguns exames de diagnóstico, como a endoscopia e a impedância esofágica, que permitem avaliar se existe realmente refluxo da bile, principalmente para o esôfago.

Saiba como é feita a endoscopia e qual o preparo necessário.

Como é feito o tratamento

O refluxo biliar tem cura, porém seu tratamento pode ser mais demorado e, por esse motivo, é muito importante seguir adequadamente as orientações do gastroenterologista.

O mais comum é que sejam utilizados remédios indicados pelo médico. Um dos mais usados é o ácido ursodesoxicólico, que é uma substância que ajuda a promover a circulação da bile, reduzindo assim a frequência e intensidade dos sintomas. No entanto, também podem ser indicados outros medicamentos, conhecidos como sequestradores dos ácidos biliares, que se ligam a estes no intestino, impedindo a sua reabsorção.

No entanto, quando os sintomas não melhoram com o uso de medicamentos, o gastroenterologista pode aconselhar a realização de uma cirurgia. Nesta cirurgia, conhecida por cirurgia de desvio, o cirurgião cria uma nova conexão para a drenagem da bile mais abaixo no intestino delgado, desviando a bile do estômago.

Como prevenir

De forma a evitar episódios de refluxo biliar, o ideal é deixar de fumar, fazer refeições mais curtas, evitar deitar logo a seguir as refeições, evitar alimentos com gorduras e ingestão de álcool, perder o peso em excesso e relaxar, uma vez que o estresse pode piorar os sintomas de refluxo.

Remédios caseiros

Existem formas naturais de reduzir o refluxo biliar, como tomar umas cápsulas de olmo escorregadio ou beber um chá de camomila, alteia ou alcaçuz. Saiba como preparar o chá de alcaçuz.





Fonte do Artigo
Tag:
#emagrecimento #dieta #emagrecer #fitness #saude #vidasaudavel #reeduca #nutricao #fit #foco #alimentacaosaudavel #lowcarb #treino #oalimentar #gym #academia #emagrecercomsaude #nutricao #dietasemsofrer #comidadeverdade #foconadieta #alimenta #perderpeso #qualidadedevida #hipertrofia

Anúncio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here