Estratégias para garantir uma nutrição adequada para os idosos da sua vida

Existe algum idoso em sua vida que você ama, ajuda ou cuida? Aprenda sobre o risco nutricional em idosos lendo este excelente artigo do blogueiro convidado Scott Roberts, LPN, CDM, DTR. Scott está prestes a terminar seu estágio em dietética e será nutricionista registrado em um futuro próximo!

Na minha experiência como enfermeira de saúde domiciliar trabalhando com a população geriátrica, tenho visto muitos casos em que a nutrição adequada foi dramaticamente negligenciada, especialmente naqueles que viviam sozinhos com supervisão e cuidados mínimos.

A desnutrição é definida como um desequilíbrio de nutrientes causado por uma ingestão excessiva de nutrientes ou por um déficit nutricional. A desnutrição está se tornando cada vez mais comum entre a população idosa. Nas comunidades de toda a América, estima-se que 5-10% dos idosos estão subnutridos (1), pelo que o problema é muito mais comum do que se imagina.

Possíveis causas de má nutrição

Sentido de paladar/olfato diminuído

À medida que envelhecemos, começamos a perder o paladar e o olfato (2). Também não ajuda que preparações culinárias ricas, como fritar e usar excesso de sal e açúcar, sejam evitadas nessa idade. Esses dois fatores juntos podem diminuir significativamente o prazer de comer.

Efeitos colaterais da medicação

É muito comum que os idosos tomem vários medicamentos. O que a maioria das pessoas não entende é que muitos desses medicamentos podem ter um efeito significativo no estado nutricional. Os riscos nutricionais induzidos pela ingestão de medicamentos incluem falta de apetite, deficiências nutricionais induzidas por medicamentos e reações tóxicas. Os efeitos colaterais dos medicamentos, como tontura ao ficar em pé ou sentado, também podem interferir na capacidade de uma pessoa realizar atividades da vida diária, como fazer compras ou cozinhar (3).

New Detox

Má saúde bucal

Falta de dentes e próteses dentárias frouxas são problemas comuns entre os idosos, mas a maioria não costuma associar esses problemas ao desenvolvimento de desnutrição. Foi demonstrado que a má saúde bucal em idosos leva à má ingestão oral, levando assim a um mau estado nutricional (4). Também foi relatado que indivíduos que usam dentaduras consomem mais carboidratos refinados, açúcar e colesterol dietético do que aqueles que não usam (5).

Dificuldade financeira

A Pesquisa Nacional sobre Dieta e Nutrição mostrou que pessoas com mais de 65 anos e renda baixa ou fixa consumiam quantidades significativamente menores de energia, proteínas, fibras e muitas vitaminas e minerais (6). A falta de dinheiro para pagar alimentos adequados pode resultar numa série de problemas nutricionais e muitos idosos têm rendimentos fixos ou limitados. Se um idoso estiver preocupado com dinheiro, ele poderá cortar despesas com mantimentos e comprar alimentos menos nutritivos para caber em seu orçamento.

Falta de transporte

Alguns idosos não têm transporte confiável e, portanto, são menos propensos a fazer compras. Isso pode levar à falta de alimentação ou à dependência de opções de entrega de alimentos não nutritivos. Mesmo com transporte confiável, sem a assistência adequada, as compras podem ser difíceis em muitas lojas de alimentos localizadas em grandes shoppings e em ruas movimentadas. Para fazer compras, o idoso deve dirigir até a loja, navegar no trânsito intenso e, muitas vezes, estacionar longe da porta.

Deficiência física

A perda muscular é uma parte normal do envelhecimento, esta perda muscular é chamada de sarcopenia. É observado até mesmo em indivíduos saudáveis ​​com as alterações metabólicas que ocorrem naturalmente durante o envelhecimento. A falta de atividade física desempenha um papel significativo na progressão da sarcopenia (7). Como resultado da fraqueza associada, pode ser cada vez mais difícil para os idosos realizarem actividades da vida diária, como preparar alimentos ou mesmo ter dificuldades na utilização de utensílios, o que por sua vez pode levar ao desenvolvimento de desnutrição.

Comprometimento Neurológico

Demência, doença de Alzheimer e falta de memória podem prejudicar a capacidade do idoso de comer uma variedade de alimentos regularmente e de lembrar o que comprar na loja. A perda de peso e a mudança do comportamento alimentar são características comuns da demência progressiva. (8). Verificou-se também que até 50% dos pacientes com doença de Alzheimer perdem a capacidade de se alimentarem 8 anos após o diagnóstico (9). Pode-se continuar comendo os mesmos alimentos repetidamente sem perceber, ou pular totalmente as refeições porque não consegue se lembrar da última vez que comeu.

Problemas de deglutição

Muitas condições que se desenvolvem com a idade avançada podem levar a problemas de deglutição ou disfagia, o que pode causar desnutrição, levando a uma redução na ingestão de alimentos. É evidente que a disfagia é um problema importante e, nos idosos afetados, pode levar a uma ingestão de apenas 14,5% das necessidades energéticas estimadas (10). Pesquisas demonstraram que a disfagia está associada à perda de peso e à desnutrição em idosos (11, 12).

Estratégias para garantir uma nutrição adequada

Cuidar das necessidades nutricionais dos idosos apresenta um desafio único, mas ao aplicar alguns princípios nutricionais e culinários simples, você pode ajudar a garantir que seus entes queridos recebam a nutrição necessária para se manterem saudáveis.

Ofereça alimentos nutricionalmente densos

Como muitos idosos não comem tanto quanto deveriam, os alimentos que comem devem ser tão nutritivos quanto possível. Incentive alimentos integrais e não processados, ricos em calorias e nutrientes. Alguns exemplos incluem: gorduras saudáveis, como manteigas de nozes, nozes, sementes e azeite; grãos integrais, incluindo arroz integral, pão integral, aveia e cereais integrais e, claro, tente incluir muitas frutas e vegetais frescos. Se a mastigação for difícil, prefira manteigas de nozes e sementes em vez de nozes ou sementes inteiras. Além disso, cozinhar bem os alimentos pode ajudar a amolecer os alimentos e torná-los mais fáceis de mastigar. É importante notar que produtos enlatados e congelados também são boas escolhas, embora se deva tentar evitar produtos com adição de sal (use alimentos com “baixo teor de sódio” ou “sem adição de sal”). Feijões ricos em proteínas, legumes, carnes magras e laticínios com baixo teor de gordura também são escolhas muito boas.

Apimentar

Tornar a comida apelativa pode ajudar a estimular o apetite, especialmente nos idosos, que provavelmente têm um sentido de paladar e olfato diminuído. Os sabores dos pratos podem ser amplificados com a adição de ervas e temperos, além de marinadas, temperos e molhos com baixo teor de sal e açúcar. Alternar entre uma variedade de alimentos durante uma refeição também pode mantê-la interessante. Combinar texturas, como iogurte com granola, para tornar os alimentos mais apetitosos ajudará a melhorar a experiência geral de comer.

Mantenha-o social

Muitos idosos que moram sozinhos ou sofrem de depressão podem parar de preparar as refeições, perder o apetite e depender de alimentos de conveniência. A ingestão alimentar nos idosos pode ser melhorada quando comem em ambientes sociais. Também foi demonstrado que isto poderia potencialmente levar ao ganho de peso e às correspondentes melhorias no estado nutricional e na reabilitação (13). Dito isso, é benéfico realizar reuniões familiares com a maior freqüência possível, além de levar refeições quentes para casa ou convidar regularmente o idoso de sua vida para sua casa. Isto poderia levar as pessoas em maior risco de desnutrição a se tornarem mais interessadas em alimentos e atividades alimentares.

Promova lanches saudáveis

Comer lanches ajuda a aumentar a ingestão de nutrientes vitais e melhora a saúde geral. Muitos idosos não gostam de fazer grandes refeições ou não sentem fome o suficiente para fazer três refeições completas por dia. Uma solução é incentivar ou planejar várias pequenas refeições ao longo do dia. Para cada uma dessas pequenas refeições, é importante garantir que sejam nutricionalmente densas, com muitas frutas, vegetais e grãos integrais. Grãos integrais e cereais fortificados são uma boa fonte de ácido fólico, zinco, cálcio, vitamina E e vitamina B12, que muitas vezes faltam na dieta dos idosos. Fontes de proteínas magras, como frango, peru, laticínios com baixo teor de gordura e feijão, também são ótimos lanches. Também é importante acrescentar que certas carnes processadas com alto teor de sódio e gordura saturada devem ser evitadas. Boas fontes de gordura, como nozes, também são lanches rápidos e saudáveis, mas opte pelas variedades sem sal. Para aqueles com dificuldades de mastigação ou deglutição, as manteigas de nozes podem ser mais fáceis de tolerar.

Manter a saúde bucal

Manter uma saúde bucal adequada pode melhorar a nutrição e o apetite. Coisas simples, como garantir que as dentaduras se encaixem corretamente e resolver problemas como cáries e dores na mandíbula, podem garantir um estado nutricional ideal.

Obter ajuda

A Administração sobre Envelhecimento dos EUA destaca vários programas de assistência governamental que podem ajudar a melhorar o estado nutricional. Refeições entregues em casa (Refeições sobre Rodas), creches para adultos, educação nutricional, transporte porta a porta e programas de assistência financeira estão disponíveis para pessoas com mais de 60 anos que precisam de ajuda.

Para obter mais informações, visite www.AOA.gov . Você também pode ligar para o Eldercare Locator em 1-800-677-1116 ou visitar www.eldercare.acl.govaprender mais. Este é um call center e site nacional que conecta americanos mais velhos e seus cuidadores com informações sobre serviços para idosos em sua área.

Ajude-os a se locomover

Conforme mencionado acima, a falta de transporte pode ser um problema e pode ser benéfico levar você mesmo o seu ente querido ao supermercado para ter certeza de que ele está recebendo os alimentos de que precisa. Se possível, você também pode contratar um ajudante ou vizinho para fazer isso, caso não esteja disponível. Outra opção é você mesmo fazer o pedido dos mantimentos, seja em mercearias locais que fazem entregas em domicílio ou em um site de mercearia online. Verifique com seus supermercados locais e veja se esta é uma opção. Algumas lojas até enviam em intervalos regulares para que você não precise se lembrar de fazer o pedido todas as vezes.

Lembre-os

Se a memória fraca estiver interferindo na boa nutrição, programe as refeições no mesmo horário todos os dias e forneça lembretes visuais e verbais sobre quando é a hora de comer.

Forneça suplementos dietéticos com sabedoria

Pode parecer uma intervenção ideal para complementar quaisquer deficiências nutricionais, mas se não for feita corretamente pode levar à toxicidade. Os suplementos dietéticos podem causar uma variedade de efeitos colaterais adversos, especialmente se um indivíduo tomar doses excessivas de determinados nutrientes ou usar suplementos de ervas que contenham ingredientes estimuladores ou contaminados. Um excelente exemplo de possível resultado negativo é a suplementação de vitamina A. Os idosos não processam a vitamina A tão rapidamente quanto os mais jovens, tornando-os suscetíveis à toxicidade da vitamina A (13). Outro exemplo é tomar muita vitamina B-6, que pode causar danos nos nervos dos braços e pernas (13).

Recomenda-se evitar suplementos vitamínicos e minerais que contenham “mega” doses (qualquer coisa que seja 10 vezes maior que o valor diário (DRI) de qualquer nutriente) para evitar ingestão excessiva e efeitos tóxicos (14). No rótulo dos alimentos, isso seria aproximadamente 1000% do VD listado no rótulo dos alimentos. Leia e siga as instruções de dosagem cuidadosamente. Procure o rótulo da Farmacopeia dos Estados Unidos (USP), que indica que os suplementos vitamínicos e minerais atendem aos padrões da USP em termos de pureza e força (15). Suplementos contendo estimulantes, como a cafeína, podem causar taquicardia, aumento da pressão arterial e ansiedade. Preocupações adicionais incluem interações com medicamentos vendidos sem receita e prescritos, rotulagem incorreta de suplementos e complicações cirúrgicas. Com isso dito, certifique-se de discutir a ideia de suplementos com o médico do seu ente querido.

Para mais informações, acesse o site da USP em: www.usp.org

Jean Sobrinho

Especialista em IA e Machine Learning | Consultor de TI | CEO na Gestor de Tráfego e Wordseo Fala sobre #seo, #googleads, #facebookads, #programacao e #gestordetrafego

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo
Agência Gestor de Tráfego